Browse By

Brasil e outros 17 países rejeitam eleições fraudulentas na Venezuela

Brasil e outros 17 países rejeitam eleições fraudulentas na Venezuela.

Na Venezuela só recebe cesta básica do governo (“tarjeta de la pátria”), ou seja, só come minimamente algo quem faz o que a narcoditadura mandar – lá não existe voto secreto e as milícias armadas de Maduro (colectivos) buscam as pessoas em casa para forçá-las a votar.

Vale lembrar que não há mais cachorro nem gato na rua para comer e lá o povo foi desarmado com a ajuda da ONG brasileira Viva Rio.

Nesta eleição a narcoditura precisa que as pessoas saiam a votar, assim tentam passar a impressão de viver numa democracia com um governo legitimamente eleito. A oposição de verdade prega a abstenção.

Como noticiamos ontem (07), o Brasil não reconhece às eleições realizadas na Venezuela no último domingo (06/12).

O Brasil e mais 17 países assinaram uma declaração onde consideram as eleições de ontem na Venezuela como fraudulentas. Eles questionam a legitimidade das eleições na Venezuela, entre os países que se posicionaram contra o pleito, estão Reino Unido, Estados Unidos, Canadá e Brasil.

Como já se esperava, o pleito foi marcado por uma alta abstenção de votos e elegeu em sua grande maioria candidatos favoráveis à ditadura do atual presidente Nicolás Maduro, que assim assumirá o controle da Assembleia Nacional do país.

Nesta segunda-feira (07/12) o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, em conjunto com outros 15 países das Américas, publicou uma nota afirmando que o governo madurista é ilegítimo e que a votação foi ilegal por ter sido realizada sem as garantias mínimas do processo democrático e sem a participação de todas as forças políticas.

O texto pede ainda que a comunidade internacional se junte aos 15 países, rejeitando a eleição fraudulenta no país sul-americano, e que a Venezuela se comprometa a encontrar uma solução pacífica e constitucional que leve o país a eleições parlamentares, justas, limpas e dignas de crédito.

Brasil e outros 17 países rejeitam eleições fraudulentas na Venezuela

Além do Brasil, os signatários foram Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana e Santa Lúcia.

Entre os pontos observados pela oposição ao ditador que ilegitimam a eleição estão:

– Todos os membros do Conselho Nacional Eleitoral estão controlados pela ditadura de Maduro.

– A ditadura roubou a imagem dos partidos políticos democráticos.

– A ditadura comprou falsos opositores (“os escorpiões”).

– Não houve observação internacional.

– A imprensa é censurada e perseguida pela ditadura.

Leia a íntegra da declaração do Ministro Ernesto Araújo:

O regime de Maduro promoveu hoje [ontem], “eleições parlamentares” na Venezuela para tentar legitimar-se.

Só se legitimará aos olhos daqueles que apreciam ou toleram a ditadura e o crime organizado, o grande complexo criminoso-político do Foro de São Paulo ou “Socialismo do Século 21”.

O resultado de qualquer “legitimação” de Maduro: mais opressão e fome para os venezuelanos, mais força para o crime em toda a região.

Porém, o povo venezuelano rejeitou a farsa eleitoral. Com baixíssima participação, mostrou que as eleições legislativas não representam sua vontade.

O Brasil continuará trabalhando, com todos os parceiros que quiserem, pela redemocratização da Venezuela. Defenderemos a segurança, a dignidade humana e a liberdade na América Latina e em todo o mundo.

Volte á Página Inicial do Site Notícias de Direita Urgente para ver as Notícias Mais Relevantes do Momento!

Mantenha-se Sempre Bem-Informado Sobre Tudo o que Acontece no Brasil e No Mundo! Acesse o Site Welesson Oliveira – Orgulhosamente de Direita

Entretanto… No entanto… De acordo com o… Ainda de acordo com… Mesmo que… Por outro Lado… Além disso… Mesmo porque… Aliás… Afinal… Ademais… Anteriormente… Assim… contudo… Embora… Enquanto… Então… Entretanto… Outrossim… Pois… Por enquanto… Por enquanto…